Se não chover até sexta, dia 5, milho segunda safra do PR pode ter prejuízo

O clima neste ano está tratando melhor o milho segunda safra em boa parte do Brasil. Em Mato Grosso e Goiás, as chuvas estão abundantes. Já Mato Grosso do Sul e Paraná, onde as lavoura estão em boas condições de desenvolvimento, o milho começa a sentir a falta de umidade.

A chance de precipitação nos próximos dois dias é excelente, mas, se essa chuva toda não cair no Paraná, pode trazer consequências para o milho segunda safra. Em Cascavel, no oeste do estado, a expectativa é de cerca de 60 milímetros nesta quinta-feira, dia 4, e 80 milímetros na sexta, dia 5.

“Mesmo se não chover tudo isso, mas chover uns 60, 70 milímetros no total, já vai ajudar. O perigo está depois disso, porque a meteorologia não prevê nenhum outro episódio de chuva forte para o Paraná até o fim de abril”, diz a meteorologista da Somar Desirée Brandt.

No restante da região Sul, há condições para chuva forte generalizada e com elevados volumes acumulados a partir do fim da tarde no Rio Grande do Sul. Pode haver elevação do nível de rios do sistema do Alto Uruguai. Além disso, venta forte à noite no estado. A chuva também é intensa no oeste catarinense e sudoeste do Paraná. Nas demais áreas, as pancadas são mais isoladas e passageiras.

Na sexta-feira, as instabilidades não dão trégua mesmo com o deslocamento de uma frente fria pela costa, em direção ao Sudeste. Ainda há previsão de chuvas intercaladas com períodos de tempo nublado e condição para chuva volumosa entre o norte gaúcho e o sul do paranaense. A chuva pode forte e generalizada em Curitiba e no litoral do Paraná. Por outro lado, o avanço de uma massa de ar seco já deixa o tempo firme e frio no sul e oeste gaúchos.

Pryscilla Paiva, editora de Tempo do Canal Rural

Leave a Replay

Dixe o seu email para receber novas notícias

Close Menu